quarta-feira, 25 de março de 2009

PROJETO SALA DE ARTICULAÇÃO

Jogos e Brincadeiras como Ferramentas Pedagógicas

IDENTIFICAÇÃO

Estado de Mato Grosso
Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Desporto e Lazer.
Assessoria Pedagógica de Marcelândia MT

Escola Pública Municipal Santa Terezinha
Marcelândia, MT 2009
Identificação:
Escola Pùblica Municipal Santa Terezinha
Avenida Colonizador José Bianchini s/n- Área Industrial
Marcelândia – MT
CNPJ da APM 01.930.575/0001-76
Telefone (66)35361453
E_Mail: epmstmt@hotmail.com ou
epmstmt@gmail.com
Diretora: Márcia Nunes Teixeira
Modalidade de Ensino Oferecidos: Educação Básica Ensino Fundamental
Decreto de criação lei nº 018/94
Reconhecido pela portaria nº3277/92


PROFESSORAS: ANDRÉIA FERREIRA formada em Pedagogia com pós-graduação em Metodologia das Ciências Tecnológicas na Educação Básica e CLEIDE RIBEIRO ALVES com formação e habilitação em Licenciatura Plena em Pedagogia e pós graduada em Metodologia das Ciências e suas Tecnologias na Educação Básica, cursando Pós graduação em Psicologia Clinica Institucional.

Caracterização da turma

A sala de articulação é uma alternativa de atendimento a educandos com dificuldades de aprendizagem que freqüentam a classe regular e irá receber atendimento no contra turno, com professor especializado, material e recursos pedagógicos adequados, dando ênfase as atividades lúdicas.
A Escola Santa Terezinha, neste ano letivo de 2009, concretiza ações colaborativas com serviços de natureza pedagógica que se destinam aos alunos com dificuldades de aprendizagem, matriculados no ensino regular e serão atendidos em classe comuns e sala de articulação. Objetivando trabalhar as dificuldades e favorecer a eficiência cooperativa entre aluno, professor articulador, professor regente e família no processo educativo.

Escolha do tema

Para facilitar o aprendizado do aluno resolvemos trabalhar de forma lúdica através de jogos e brincadeiras na aprendizagem..
A construção de jogos pode transformar em conhecimento uma infinidade de conteúdos que são arremessados por sobre os ombros de alunos, que muito mais interessados estão em brincadeiras, passeios, namoros, orkut, etc.
Transformar a sala de aula ou o espaço escolar num palco de jogos e brincadeiras sem preterir os “mal amados” conteúdos é o grande desafio deste trabalho, sendo assim podemos “disfarçar” conteúdos dando a eles o formato de jogos “enganando” os alunos fazendo com que os mesmos aprendam brincando e com prazer o que antes não passava de uma “tortura”.

Justificativa

Haja vista a grande dificuldade apresentada por alguns alunos no período regular de aula, percebemos a necessidade de um apoio para alguns alunos no período de contra-turno, no entanto sabemos que a mera repetição de conteúdos não leva o aluno alcançar o conhecimento, porem com adoção de jogos e brincadeiras pedagógica , com objetivos claro e definidos podem fazer com que esse aluno venha alcançar seu aprendizado dessa forma concordamos com VYGOTSKY,quando afirma que a brincadeiras e jogos, são ingredientes vitais para um aprendizado significativo.
Diante dessa realidade educacional pedagógica resolvemos trabalhar com o lúdico como uma alternativa que visa propiciar subsídios de apoio ao educador e educando para a motivação, estimulo, prazer pelo ato do aprender.

Objetivo geral

Fazer com que os alunos superem grandes partes da sua dificuldades e possam em um segundo momento voltar apenas para uma sala regular.

Objetivos específicos


· -utilizar multimeios diferenciados em sala e em outros espaços.
· -alcançar o aluno através de atividades diferenciados.
· -despertar no aluno capacidade de raciocínio e concentração.
· -fazer com que o aluno deseje aprender.
· -aumentar a auto-estima do aluno.

Metodologia

Para desenvolver esse projeto vamos usar jogos e brincadeiras variadas para que os alunos assimilem melhor os conteúdos será trabalhado individual ou em pequenos grupos dependendo do nível de desempenho, necessidade e relacionamento dos mesmos objetivando trabalhar as dificuldades e favorecer a eficiência cooperativa entre aluno, professor e família no processo educativo.
O educando freqüentará a sala de articulação durante o tempo que for necessário, devendo ser seguido programa elaborado de acordo com suas necessidades .
Os conteúdos desenvolvidos serão de acordo com o ano e as necessidades específicas do educando. Procurando propiciar situações de aprendizagem que busquem sanar ou minimizar as dificuldades do educando, na consecução dos objetivos da classe comum, desenvolvendo habilidades como:
Vocabulário, linguagem, pensamento, fluência verbal;
Percepção visual;
Atenção, memória, concentração;
Raciocínio lógico;
Criatividade, curiosidade, explosão;
Reconhecimento de cores e tamanhos;
Alfabetização;
Reconhecimento de letras, sílabas.....
Ortografia;
Interpretação de texto;
Compreensão da leitura;
Percepção auditiva;
Coordenação motora-motricidade;
Quantidades;
Sistema de numeração e raciocínio lógico matemático;
Operações (adição, subtração, multiplicação, divisão) ;
Conjuntos;
Sociabilidade, regras e limites;
Organização espacial;
Classificação, ordenação;
Associação de quantidades;
Associação de idéias;
Percepção de espaço;
Coordenação viso motor;
Coordenação figura-fundo;
Percepção de figura-fundo, semelhanças e diferenças;
Relação número/quantidade;
Percepção corporal;
Auto conhecimento e relacionamento social;
Leitura e escrita. Essas habilidades serão desenvolvidas através de jogos pedagógicos e/ou outros recursos disponíveis, com a intenção específica de provocar uma aprendizagem significativa, estimulando a construção de um novo conhecimento e, principalmente ajudando o aluno nos fenômenos sociais e culturais.

Avaliação

A avaliação será individual. Com registro e reuniões que servirá para avaliar o rendimento dos atendimentos e reformular proposta caso seja necessário.
No final do ano, nas pastas do aluno deverá constar todas as atividades realizadas e avaliação final da sala de superação.

Cronograma

O Projeto se dará no inicio do ano letivo com possibilidade de atendimento de acordo com as necessidades do aluno até que a aprendizagem atenda aos objetivos proposto.

Bibliografia

WEISS, Maria Lúcia Lemme , Psicopedagogia Clínica - uma visão diagnóstica dos problemas de aprendizagem escolar; 13ª.ed.rev.e ampl. Rio de Janeiro:Lamparina,2008 p.93.
Micottoi, M.C Oliveira, Piaget e o Processo de alfabetização. São Paulo: Pioneira, 1980. p.56.
__________ Como trabalhar com sala de recursos extraído de www.escola12deabril.blogspot.com acessado em 03 de março de 2009 às 14:57h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário